Diagnóstico do Ser Moral


"Senhor de vossas paixões e instruído nos mistérios da natureza, lançai as vistas em torno. Encara com entendimento as condições que a época impõe e estuda friamente o que vos cumpre fazer para manifestar o poder. Vives em meio aos seres humanos mas, o quê é um ser humano além de sua forma? A verdade é que, conforme o caso, pode ser um boi ou um porco guiado por instintos e apetites grosseiros; um tigre ou um javali, estimulado por paixões, dirigido pelo egoísmo e pelo ódio; um abutre ou um papagaio fascinado por interesses, mesquinharias e preconceitos. Raramente encontrareis um ser humano verdadeiro, de corpo e espírito. Cada um destes seres trás escrito no semblante a assinatura dos impulsos animais que o movem e dominam. Tu, possuidor do segredo de Hermes, deves aprender a arrancar a máscara da face humana que esconde a bestialidade latente no fundo de cada um. O rosto, o aspecto da
pele, o andar, os gestos, a escrita, a voz servem para estabelecer rapidamente o diagnóstico do Ser Moral".
PAPUS

As Figuras?

Bem, estou usando a imaginação e misturando histórias, lembranças e lugares. A única coisa realmente concreta na qual eu acredito é a força da abstrações. Do resto o tempo se encarrega.

A Base do Espírito

"Frazer afirma que os magos são a classe social organizada mais antiga da história, que as crenças de caráter mágico tais como o totem ou o tabu são os primeiros sistemas religiosos da humanidade. De acordo com Combarieux, a origem da música precisa estar na magia. É opinião de Huvelin que as artes plásticas e, sem dúvida, o teatro e a dança derivam da magia. E é manifesto que, se se admite que o homem primitivo vivia e ainda vive em um mundo mágico, como testemunham recentes exploradores e missionários, deve-se concluir que na concepção mágica se encontra a base do mundo do espírito".
CASTIGLIONI, Arturo. Encantamiento y Magia, Fundo de Cultura Econômica, México - Buenos Aires, 1947.

Calar

A imantação das forças psíquicas deve ser feita no silêncio.

É pela perseverança, pela calma e pela investigação exclusiva da verdade por si mesma, sem interesses vis, que se chega à intuição do astral e o domínio das práticas mágicas.

Pitágoras impunha, antes de tudo, um longo período de silêncio a seus discípulos, processo muito eficaz para desenvolver a meditação e a concentração.

Aquele que se dedica ao estudo e prática da Magia deve adotar uma extrema discrição e disfarçar suas verdadeiras pesquisas e ocupações esotéricas sob pretextos diversos. A mais importante das regras a observar é o quarto ensinamento da Esfinge: CALAR.
PAPUS

Magia

A magia, sendo uma ciência prática, requer conhecimentos teóricos preliminares, como todas as ciências práticas. Entretanto, há diferença entre um engenheiro mecânico, que passou por um curso universitário e um mecânico técnico ou leigo, que fez um curso rápido ou aprendeu na lida do dia a dia da oficina. Em muitos lugarejos, há leigos em magia que, de fato, produzem fenômenos curiosos e realizam curas, porque aprenderam a fazer estas coisas vendo como eram feitas pelos mais velhos, repetindo tradições cujo fundamento, geralmente, se perdeu. Esses "magos leigos" são os chamados feiticeiros...

TRATADO ELEMENTAR DE MAGIA PRÁTICA
Gerard Anaclet Vincent Encausse (1865-1916)
Papus - São Paulo: Ed. Pensamento, 1995.