Maldizer para proteger


Isidorus Hispalensis, De summo bono, manuscrit Latin 12268, 1086-1100.

"Hic est liber Sancti Petri Fossatensis. Si quis eum furatus fuerit, anathema sit."

"Esse livro pertence a Saint-Pierre des Fossés [hoje Saint-Maur-des-Fossés]. Se alguém roubá-lo, que ele seja anátema."

No universo cristão, anátema significa uma condenação enérgica. A palavra tem origem grega: anathema. No caso, tratam-se de maldições apostas em antigos manuscritos, de reconhecido valor espiritual e material, com a finalidade de protegê-los de intenções malfazejas, de apropriações indevidas, de empréstimos de duração ou de roubos.

Origenes, Homiliae in Vetus Testamentum, interpretibus Hieronymo et Rufino, manuscrit Latin 11615, 1141-1160.

"Quicumque librum istum defraudaverit vel scienter male tractaverit vel literas deleverit per malitiam suam sit anathema maranatha, idest dampnatus et a consortio Dei separatus donec Dominus redeat ad iudicium. Amen."

"Qualquer um que subtraia este livro ou conscientemente o maltrate, ou apague seu texto por malignidade, que ele seja anátema em nome de Deus, ou seja, maldito e excluído do povo de Deus até que o Senhor retorne para o julgamento. Amem."

Fonte: Gallica, BNF.




Comentários

Postagens mais visitadas